4 de ago de 2012

PERSONALIDADES - FRIEDENSREICH HUNDERTWASSER




We live in Paradise, but we do not  know it. Do not destroy. Do not revolt. Do not escape. Just improve slowly and all will be good”
 Hundertwasser

Eu ainda era criança quando minha mãe me levou a uma exposição no Rio de Janeiro, no museu de Arte Moderna, era a exposição  de Hundertwasser! Adoro a arte verdadeira, genuína amo o mundo das cores e nuances então, nada mais natural do que ter ficado impressionada com aquelas pinturas. Seu nome verdadeiro é Friedrich Stowasser (1928 a 2000), artista austríaco de muitos talentos, nascido em uma família judia, estudou em uma escola de linha pedagógica Montessori, onde em seu boletim pode-se ler a observação: grande noção e sensibilidade para cores e formas. Para salvar a família do Holocausto sua mãe o alista na juventude Hitlerista, enganando aos soldados da SS. Sempre que passavam pela casa da família Stowasser , Friedrich abria a porta trajando o uniforme nazista, adornado com as medalhas  da primeira guerra mundial, de seu pai, austríaco, já falecido.  Após a guerra, e tendo sobrevivido com o restante de sua família graças ao estratagema de sua mãe, Friedrich adota o nome artístico pelo qual ficou conhecido, “ Friedensreich  Regentag Dunkelbunt Hundertwasser”. No mínimo curioso.  De seu  sobrenome  checo, traduziu o prefixo” STO”  ( que significa cem) para o alemão, “Hundert” e o juntou ao restante do sobrenome, “Wasser”(que significa, água),assim seu sobrenome se transformou em “Hundertwasser”,( cem águas).” Friedensreich” (reino da paz), ele elege para nunca esquecer da guerra pela qual passou e junta a este pré-nome os nomes de” Regentag “ (dia de chuva) e “Dunkelbunt” (colorido profundo).
                              Hundertwasser com sua mãe, 1932
                              Foto do site www.hundertwasser.at


As características de Hundertwasser  são a expressão da filosofia do ambientalismo. Preocupado com as questões ambientais, onde na sua visão, não se limitava somente às questões naturais, mas também sociais. Desenvolveu a teoria das três peles do homem, as quais seriam a sua epiderme, as suas vestes e a sua casa. Através de seus manifestos, e de seu próprio exemplo de conduta pessoal, ele procurava demonstrar os caminhos para se buscar uma harmonia entre estas três peles, maltratadas, segundo ele, pela sociedade automatísta que queria transformar a todos, em homens-autómatos.

“Hundertwasser acredita no homem como ser em camadas que se desenrolam espiraladas a partir da primeira pele, que segundo ele é a epidérmica em direção a quinta pele, a planetária, pelas etapas sucessivas da segunda pele, o vestuário, a terceira pele, a casa e a quarta pele, a identidade, o meio social que transcende a família. As cinco peles de Hundertwasser são um plano de vida, uma reflexão profunda do ser e estar sobre a terra, colocada em prática ao longo de sua jornada artística.
¹ da dissertação de Bianca Bernardo  Barros UERJ

           Paris 1954, Hundertwasser antes da inauguração de sua 1ª exposição,
           Studio Paul Facchetti.
           Foto do site www.hundertwasser.at
Começou sua carreira no pós-guerra, em 1949, quando desembarcou em Paris com o desejo de tornar-se um artista, tendo feito sua primeira exposição em 1954. Temas comuns de seu trabalho são o repúdio a linha reta, segundo ele,  fruto do racionalismo que prima pela estrutura e pela função, então em suas obras procurava a espiral como forma ideal e natural.Ainda em suas obras chamam a atenção as cores sempre brilhantes, as formas orgânicas,  a reconciliação do ser humano com a natureza .


Seus desenhos arquitetônicos por vezes se assemelham aos do arquiteto catalão,  Gaudí, também tendo ainda Hundertwasser  se inspirado em suas obras  pelos trabalhos de Egon Schiele e de Gustav Klimt.


Adquiriu notoriedade com suas pinturas multicoloridas, porém hoje em dia é mais conhecido por seus desenhos arquitetônicos revolucionários, que visam incorporar paisagens naturais, aos edifícios e casas que criam vida em sua prancheta. Formas irregulares, o direito a ter arvores plantadas em seu entorno e o direito a individualidade de cada morador, faziam parte de suas criações arquitetônicas, e foram esclarecidas e/ou denunciadas em seus manifestos. O manifesto de 4 de julho de 1958, Verschimmelungs- Manifest, contraria o racionalismo na arquitetura, defendendo o uso de ornamentos na mesma.  Já o “Your window right — your tree duty” Fensterdiktatur/Fensterrecht- Manifest, de 1972, reflete sobre o dever que temos em protestar contra a mesmice das construções, principalmente no que diz respeito às janelas e varandas, que em todas as construções se vêem iguais. Hundertwasser defende que os prédios não são compostos de paredes e sim de janelas e varandas, compondo a visão para sua alma! Segundo Hundertwasser, a obrigatoriedade arquitetônica de construir um prédio com janelas completamente iguais lembra a um campo de concentração, e deveria ser por nós rechaçado, uma vez que cada morador é um indivíduo distinto do outro.

                  Fensterrechtdemonstration,  Andergasse, Wien, 1974

                                       Schwimmende Fenster- Hundertwasser 1979

35 obras arquitetônicas ao todo foram realizadas por Hundertwasser, dentre eles um dos mais conhecidos, o “Hundertwasserhaus” em Viena. Dentre seus outros trabalhos podemos citar a criação de selos, bandeiras, moedas, mosaicos, pósters e quadros, sempre em seu estilo único, individual e multicolorido.

                                              
                                                    Hundertwasserhaus, Viena

Fica aqui minha homenagem a este grande artista e a sua mente inquieta, revolucionária, capaz de presentear o mundo da arte com a presença inesquecível de suas obras.

                         1978,   Foto do site www.hundertwasser.at
                    
                  Hundertwasser no telhado"verde" de seu atelier em Viena, 1980.
                    Foto do site www.hundertwasser.at
  
                                               O girasol e a cidade - Hundertwasser

desejo um bom fim de semana a todos!




5 comentários:

  1. Belíssima história...

    ResponderExcluir
  2. Super-super interessante Delia! Gostaría morar na Hundertwasserhaus! Adoro die 'schwimmenden Fenster' e o girasol e a cidade, aliás, eu sou fã dele faz muitos anos! Obrigada Delia pelo presente! Vc é de+!!!! Sempre procurando nos surpreender!

    ResponderExcluir
  3. Delia Corecco Steineragosto 04, 2012

    O amor pela arte é algo que nasce com a gente porém tem de ser despertado. Obrigado por ter sido uma das ferramentas deste despertar. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Ashkenazimagosto 06, 2012

    Você sempre procura nos surpreender com a sua sensibilidade e percepção apuradas !!! Adorei conhecer esse artista e suas belíssimas obras através do seu olhar artístico !!! Parabéns !!!

    ResponderExcluir
  5. Obrigada querida, de todo coração! Bjs

    ResponderExcluir

Blogger Wordpress Gadgets