7 de mai de 2014

MALIPIYA IOYAN MANI - A ANDARILHA DO ALÉM.

SACRED CIRCLE - MAXIME NOEL



"A arte é a expressão mais pura e verdadeira de um indivíduo ... nela estão contidos todos os enigmas  que nem sempre  somos capazes de expressar verbalmente." - Maxine Noel,”Malipiya Ioyan Mani .”
 
 BUTTERFLIES - MAXIME NOEL
 
THE BLESSING - MAXIME NOEL

 
Desde tempos imemoriais, os seres humanos têm usado a expressão artística para transmitir as mais profundas verdades sobre a sua organização social e tradições culturais. Ao explorar a inspiração por trás da arte e o propósito ao que ela serve na comunidade indígena, uma maior compreensão do estilo pode ser alcançada. Talvez a função mais importante da arte indígena seja a sua capacidade de transcender as barreiras linguísticas para se comunicar com os outros. As culturas nativas são ricas em lendas antigas e histórias que são consideradas extremamente valiosas, e a arte era uma das formas que as tribos usavam para ilustrar seus próprios contos únicos, passados de geração em geração.
 
GRANDFATHER'S STORIES - MAXIME NOEL.
 
 
                                                          A NEW BEGINNING – MAXINE NOEL
 
REMEMBERING - MAXINE NOEL
 
 
SNOWFLAKES - MAXINE NOEL
 
 
MOTHER AND CHILD - MAXIME NOEL
 
 
 
Nascida em Manitoba, Canadá, Maxine Noel, cujo nome indígena é “Malipiya Ioyan Mani  ”, que significa, “Andarilha do Além”, lhe foi dado aos dois anos de idade por um sábio ancião,  passou sua infância na reserva indígena da tribo na qual nasceu, os Santee Oglala Sioux. Sua avó costumava dizer que seu nome ia levá-la além de onde outros da tribo já chegaram e que ela ia difundir sua cultura distante de suas fronteiras. Sua tribo indígena é origináriamente dos EUA, porém seu bisavò seguiu o grande lider Sioux, “Sitting Bull” aos confins do Canadá, mais precisamente para Manitoba, onde se estabeleceram em 1880.
 
MAXINE NOEL.
 
CHIEF AND SPIRITUAL LEADER SITTING BULL
 
 
OGLALA SIOUX TRIBE - ARTIST UNKOWN.
 
 
 SANTEE OGLALA WOMAN - MAXINE NOEL.
 
 

Ainda pequena,  por conta de uma lei governamental foi forçada a deixar seu lar para estudar em uma das muitos Inernatos para indígenas (Native Canadian Residential School), até hoje controversas. Conta-se que as mesmas foram criadas a partir de 1876 e tiveram duração até 1996, exclusivamente para que  crianças indígenas (First Nations, Inuits e Métis) perdessem sua ligação com os ancestrais e seus costumes, tornando-se assim pessoas “civilizadas” aos olhos dos Católicos, Presbiterianos e Metodistas. A este método foi dado o nome de “cultural triumphalism”. Estas escolas mantinham as crianças longe de seus pais e de suas influências culturais, o uso de suas linguas maternas lhes era estritamente proibido tendo eles que aprender o francês e o inglês. Foram relatados diversos abusos psicológicos assim como agressões físicas levando após muitos anos de denúncias ao fechamento das “Residencial Schools”, consideradas como fomentadoras de genocídio cultural. Em 2009 a Igreja Católica e o Estado Canadense vieram a se desculpar oficialmente, na tentativa de minimizar os acontecimentos, porém, até hoje ninguém foi condenado criminalmente pelos fatos ocorridos naqueles tempos.
 
                                        OGLALA CHILD ON TIP
Maxine tinha aproximadamente esta idade ao ser transferida para a "Native Canadian Residential School".
 
 
ST. PAUL'S INDIAN INDUSTRIAL SCHOOL, MIDDLECHURCH, MANITOBA, 1901.
 
 
INDIAN SCHOOL INDUSTRIAL DE LEBRET NOS QU'APPELLE VALLEY, DISTRITO ASSINIBOIA, TERRITÓRIOS DO NOROESTE.
Os pais que desejassem visitar seus filhos nas escolas para indígenas tinham de acampar do lado de fora da cerca em frente as escolas. (1885).


                                 ANCESTRAL PRIDE – MAXIME NOEL
 
HOPE - MAXIME NOEL.
 
 
HOPE II - MAXIME NOEL.
 
 

O interesse de Maxime Noel por pintura e desenho se sobressaiu chamando a atenção dos instrutores (Missionários) pela sua expressão linear, e os mesmos a encorajaram ao uso de formas e linhas que sugerissem movimento, porém inibiam tudo que se referia as tradições indígenas. Já mais crescida,quando foi trabalhar como secretária em Toronto, Maxine Noel, cursou Design Avançado, libertando de vez o mundo indígena que estava adormecido dentro dela. Assim resgatou sua história que é a história de seus antepassados, dando-lhes rostos, formas e cores, transformando linhas e curvas em lembranças vivas de sua infância. Embuidos de tradição, e de natureza espiritual elevada, suas pinturas passaram a retratar seu povo, e passaram a ser reconhecidas artísticamente mundo afora. O olhar, para os povos indígenas é o espelho da alma, em suas criações este olhar continua vazado, denunciando o vazio ao que suas almas foram lançadas ao se chocarem com os costumes e tradições dos missionários.
 
DUSK OVER ED HILLS - MAXIME NOEL.
 
 
ANCIENT MESSAGES – MAXINE NOEL
 
 
PRAYER - MAXIME NOEL
 
                           PRIDE OF OUR ANCESTRY - MAXINE NOEL.

MOTHERS LOVE - MAXINE NOEL.
 
 
BLACK HILLS WOMAN - MAXINE NOEL.
 
 
Além da pintura e do desenho, Maxine domina as técnicas da Serigrafia, Gravura e Litografia, além de se aventurar pelo enigmático mundo das esculturas, com algumas peças limitadas de bronze. Aos seus alunos Maxine ensina que a pintura oferece-nos sua vasta gama de comunicação em forma de cores, linhas, texturas e sonhos. O mundo artístico de Maxine é preenchido com um equilíbrio extraordinário de força e fluidez, as figuras se entrelaçando sutilmente contando-nos as suas histórias, lembrando-nos suas origens, seu amor e respeito profundo pela natureza e pela comunidade. Desde muito pequena, Maxine aprendeu com seu povo que a arte se comunica sem palavras e ela costuma repetir o que seus pais lhe ensinaram: " A Arte dirá mais sobre você do que palavras jamais poderiam".
 
 
MAXINE NOEL
                                            
 
 
THE APPROACHING STORM - MAXINE NOEL.
 
 
DREAM CATCHER - MAXINE NOEL.
 
 STRENGTH THROUGH CENTURIES - MAXIME NOEL.
 

 
 
 
THE JOURNEY - MAXIME NOEL.
 
 
 MOTHER EARTH'S TEARS
           MAXINE NOEL.
 
 
SUN CATCHER - MAXIME NOEL.
 
 
 
FRIENDS - MAXINE NOEL.
 
 
WOODLANDS WOMAN.
 
 
 

 

 
 
 

 
 
 

 

 
 
 
 
 

 

 
 

Um comentário:

  1. Parabéns Delia! Que história interessante ! Os trabalhos da Máxime Noel são apaixonantes. Adorei...Bjs Muetti

    ResponderExcluir

Blogger Wordpress Gadgets