22 de mar de 2013

A ARTE MEXICANA DA PINTURA EM PAPEL AMATE, O PAPEL DOS DEUSES.



Amate Bark Painting on wood by Delia Corecco Steiner
ATELIER FAZENDO ARTE DMC

O tênue fio que liga o homem ao espírito pode ser observado na confecção do “Amate”, o papel sagrado dos povos pré-hispânicos. Os astecas usavam extensivamente o papel, que chamavam na língua Nahuatl de “Amatl”, para escrever os feitos de seus heróis e seus ritos religiosos e sagrados. Pouco se sabe sobre quando os Mayas iniciaram a manufatura do papel, que eles chamavam huun. Os toltecas o utilizavam desde os tempos antigos, como os demais povos do México.


                               Aztec pictorial calendar wheel, 1530.Amate paper.


                                                          Mayan Deity on Amate Paper

Este papel foi tão importante para as necessidades espirituais da comunidade, que apesar de intensas medidas repressivas por parte dos espanhóis e consequentemente da igreja, à època, sobreviveu e ainda é usado para conectar os mundos invisível e terreno em rituais xamanicos. Em meados de 1900 o papel “Amate" sofreu um renascimento que re-vitalizou a relação entre os povos indígenas e seu passado.

Papel Amate, pedra vulcânica e carimbo.
 
 
Amate Bark Painting
 

Em parte, este costume de uso ritual do papel continua em San Pablito, nas terras altas do norte do estado de Puebla, México, o único lugar em toda a Mesoamérica onde se mantém a tradição do século III d.C. Os Xamãs do povo Otomi, que historicamente foi relegado às montanhas, ainda usam com frequência o papel Amate em suas oferendas e rituais.

                                                         Natives of Otomi people.
                                                       San Pablito Pahuatlan village.

Cerimonial bark Paper tunic.
 


A medida que se atravessa a serra em direção a San Pablito, o som rítmico do golpear de pedras sobre a madeira vai se fazendo audível. Neste “pueblo”, rodeado de montanhas a quase maioria de seus habitantes ainda produzem o papel “Amate” como o fizeram seus ancestrais.

                                     Amate Paper crafting.
 
Produzem os mais belos papéis , desde o Amate liso, passando pelo Amate artístico, incluindo o papel Amate recortado por xamãs e utilizado para fins ritualísticos religiosos. Os xamãs recortam figuras de espíritos, do bem e do mal, evocando abundância em contrapartida da escazes.

                                   Natural Amate Bark paper.
Amate Bark paper samples.
 
El Señor de los montes de Bithé, en el libro del Chamán.
Veja a seguir o xamã de San Pablito, Don Alfonso García, em ritual para pedir chuva a mãe Terra, utilizando-se também dos recortes do papel “Amate”:




O “Amate”, pronuncía-se “ah-MAH-tay”, recebe a denominação de papel pelo fato de ser produzido manualmente a partir da casca interna de certas àrvores embora o processo de fabricação seja diferente do utilizado para a produção de papel comum. Talvez, seria melhor denominá-lo de “tecido não tecido”, já que como poderão observar no vídeo a seguir, o mesmo se assemelha a um tecido rustico. Na era pré-hispânica o papel amate foi produzido com a casca interna de árvores como ficus e morus, com o tempo passou-se a obtê-lo esmagando-se a casca das jonotes branco e vermelho (Cotinifolia Ficus Ficus e Padifolia), que seguindo o processo de manufatura ancestral serão cozidos em água de cal. O resultado é uma folha de cores vegetais fibrosas que variam de castanho escuro para amarelo.Veja o processo a seguir:

 


"Ficus" from wich Amate bark paper is extractet


After cooking, the jonote bark looses lignin contents and other cellulosic components. He has to be washed with plenty of water to obtain fibers ready to be worked.
 
                                              Preparing already dry jonote fibers.

 
                       Volcanic stone used to manufacture Amate Paper.

                                                         Producing the Amate paper

O papel “Amate”utilizado através dos séculos e em diferentes culturas do México, caracteriza-se também por ser um veículo de cultura e conhecimento sendo até hoje utilizado por diversos artistas em apoio aos seus trabalhos, tornando-se “tela” para receber a pintura típica ou ainda sendo o “Amate” ele mesmo utlizado de forma artística em trabalhos sem qualquer outra intervenção que a própria fibra.

 
 
 
Several works on Amate paper.
 

Ao longo da existência do ser humano, a arte tem sido uma parte importante da cultura social. A arte folclórica de outras culturas nos ajuda a apreciar o que estas pessoas de lugares tão diversos consideram valioso e bonito, aprendendo a ver o belo atravês do olhar deles.
As pinturas de papel amate são uma combinação de tradições Nahua e Otomi, seus descendentes mantendo as tradições pintam belíssimas aves, plantas e animais quase que beirando a utopia, dando vazão ao imaginário popular daquele povo. Geralmente é escolhido um animal, imaginário ou real, como centro de atenção da pintura, este deve estar disposto na pintura de forma a mostrar movimento. A ele acrescenta-se outros animais, plantas e flores emoldurando-o com um padrão de repetição, que geralmente ainda mostra alguma sobreposição. Ainda pintam cenas típicas do cotidiano no estilo naïv.
 
Tomaz Ramirez, Amate bark painting artist.
 
 
Amate bark painting artist.
 
 
Amate bark painting naïv.
 
As pinturas se dividem em tradicionais, mantendo as cores fortes que sempre encantaram os povos mesoamericanos e em cuja combinação eles são mestres; as pinturas exclusivas, nas quais já podemos ver a forma monocromática de pintura, assim como a utilização do método de pintar com apenas cores análogas (cores vizinhas na roda de cores, como amarelo e laranja; verde e azul) conferindo um aspecto de serenidade a pintura. Por último, podemos citar a pintura tipicamente maia, retratando figuras míticas e típicas daquela civilização.






                                
                                   Tradicional Amate Bark Painting
 
Monochrome Amate Painting.
 
Amate paper painting done in analogous color scale.
 
 
Traditional birds with mayan calendar.
 
Deities.
 
Um sem número de artes típicas são ainda produzidas com o papel “Amate”. Podemos citar a tradicional arte do “papel picado” (papercut) assim como uma das versões dos “Alberijes”, esculturas feitas de madeira, e no caso da “Cartonería”, figuras feitas usando a técnica do Papel machê, utilizando em alguns casos o papel “Amate”. São ainda produzidas, belíssimas luminárias decorativas com o papel “Amate”.





Amate Papercut.

Amate Papercut.
 

Owl Alberije sculpture made with Amate Paper
 



Luminaire made on Amate paper.

 
Nas culturas mesoamericanas ainda se utilizava o papel "Amate" na produção de livros dobrados em acordeão, incluindo os códices maias e astecas.
 


 



Enquanto a grande maioria dos artesãos mexicanos Nahua são desconhecidos, alguns ganharam reconhecimento internacional. Os irmãos Camilo Ayala são bem conhecidos por seu trabalho. O Smithsonian exibe duas pinturas de Marcial Camilo Ayala.



Felix Camilo Ayala
 
  
Marcial Camilo Ayala
 
   Marcial Camilo Ayala and one of his pictures painted on Amate Bark paper.

Contar histórias através de pinturas é uma arte popular. Em todos os lugares e recantos de nosso mundo as pessoas fazem isso. É assim que ficamos ligados um ao outro. Para mim, arte popular e folclórica é arte sim, porque nos eleva a um nível muito sofisticado onde a alma humana se faz visível.

 

"Los que están mirando, los que cuentan,
los que vuelven ruidosamente las hojas de los libros de pinturas.
Los que tienen en su poder la tinta negra y roja, las pinturas.
Ellos nos llevan, nos guían, nos dicen el camino".
(Xamã Otomi)

9 comentários:

  1. Simplesmente fantástico, Delia! Parabéns pela postágem superinteressante sobre o papel Amate e a fabricação dele desde a antiguidade. Acho que existe um papel-tecido parecida na Colômbia. - Só não gostei das oferendas vivas no primeiro vídeo!!! Más é assim mesmo. Continua escrevendo e pesquisando, eu fico muito orgulhosa de vc.! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Delia Corecco Steinermarço 23, 2013

    Obrigada pelo carinho e pela torcida sempre! Bjs

    ResponderExcluir
  3. Não tenho palavras para descrever este post, é simplesmente maravilhoso como esta arte milenar ainda se mantém firme...
    Tenho uma profunda admiração pelos povos indígenas, quanto mais me aprofundo em sua cultura e tradições mais fascinada minha alma fica...
    Te amo e admiro profundamente.

    ResponderExcluir
  4. Ashkenazimmarço 27, 2013

    Este post foi e é simplesmente sensacional... Adorei aprender um pouquinho mais sobre essa belíssima arte, sua origem, fabricação, etc... Simplismente sensacional !!! Parabéns, o seu trabalho é fantástico, te admiro muito !!!

    ResponderExcluir
  5. Qual é o preço de uma pintura amate tradicional bark?

    ResponderExcluir
  6. Olá Augusto, obrigado pela visita.O preço de uma pintura Amate tradicional pode variar muito dependendo do tamanho, procedência e ainda influe se é antiga ou feita agora.No meu Atelier produzo a pintura Amate, porém aplicada sobre madeira ou MDF.Posso eventualmente ainda pintar os temas Amate sobre telas ou Papel Cançon, uma vez que não domino a manufatura do papel Amate,ok.
    Caso se interesse por favor entre em contato comigo. E-mail: dmccalado@yahoo.com.br ou pela página do Facebook https://www.facebook.com/pages/Atelier-Fazendo-Arte-DMC/374215092592188
    Grande abraço e volte sempre.

    ResponderExcluir
  7. Por favor..qual é a tinta empregada nesse papel? Achei muito lindo.

    ResponderExcluir
  8. Parabens Alegria de ver tão linda pagina com tantas obras que encantam os olhos muito muito obrigada por me permitir estar com todos neste exato momento de arte

    ResponderExcluir

Blogger Wordpress Gadgets