11 de out de 2015

ODE AOS GATOS – GATOS NA ARTE.

Gato em cerâmica – Carole Fleischman.


“Ninguém em toda natureza aprendeu a bastar-se a si mesmo como o gato” - Artur da Távola


Albert Anker - Swiss artist, 1831-                       1910.


“Um cão, eu sempre disse, é prosa; Um gato é um poema” (Jean Burden).  


Portrait of Mademoiselle Julie Manet With Cat by Pierre-Auguste Renoir, 1887





















“Gatos amam mais as pessoas do que elas permitiriam. Mas eles têm sabedoria suficiente para manter isso em segredo.” - Mary Wilkins.


Abbott Handerson Thayer – Girl with Kitten.


Os gatos foram fonte de inspiração ao longo de toda a história da arte aos artistas, por si só, pessoas sensíveis, enigmáticas e muitas vezes incompreendidas. Convido-as a seguir a apreciar mais algumas destas obras magníficas.


Aldemir Martins - Gato Colorido – Serigrafia



Franz Marc Two cats sketch 1909    


John-Frederick-Herring-                                                                   Senior-Two-cats


O felino é lindo em todos os sentidos! Para os olhos observadores, a estética de seu corpo em movimento aparenta uma coreografia. Para as mentes ativas, tanta destreza e inteligência impressionam. Para os corações verdadeiros, seu olhar e companheirismo são intensamente perfeitos. Toda pessoa que tem um mínimo de sensibilidade, tem afinidade com felinos.



Alfred Ward 19th century          



Will Barnet  - Cat lover – 1987


George Hardy, ‘A Winter’s Morn’       



O gato diferente do cão sorri em silêncio, porque é introspetivo por natureza. Se formos atentos poderemos observar apenas um ligeiro movimento de baixar as orelhas e apertar um pouco os olhos, como se estivessem feridos por uma luz. Esta é a maneira felina de nos dizer que somos bem vindos ao seu mundo indecifrável, quase que inatingível.


Sleeping Cat Print by Kellas Campbell 



Cats, wood engraving John Nash                



Frank Meckworth - White cat – 1931



Norbertine Bresslern-Roth                                                                             - Austria - 1925 – Woodcut


Paul Klee – A kind of a cat. – 1937



Jean Metzinger  - the cat -                                                1915.



Não late, isto seria uma degradação para a espécie, porém ronrona de prazer. Nunca, em tempo algum espere que ele demonstre a humildade dos canídeos, eventualmente porque se recorde vivamente de seus ancestrais divinizados, talvez porque jamais se fará brinquedo em mãos alheias, ou ainda, apenas porque veio ao mundo para ensinar aos homens uma importante lição: a de que cada felino por menor que seja tem o seu ritmo, sua maneira de interagir com o seu entorno e nunca aceitara que lhe imponhamos o que quer que seja.



Aldemir Martins – Gatos.  


Chatte et ses petits - Franz Marc


Antonio Guzman Capel                    



Study Cat with Birds - Ernst Graupner                           Germany 1917 a 1989


August Macke - Still Life                                                                with Cat, 1910



Lebeide with Sulin, 1943 - Orovida Camille Pissarro



Nikolai Aleksandrovich Tarkhov - Russia - 1871 a 1930 Still Life with flowers


Cat and Butterfly V - Diane                                                   Hoeptner



Cuno Amiet - Swiss painter - 1868 a 1961 - cat 1902



Dissimulados? Jamais, eles não se dariam ao trabalho de fingir o que não sentem, o que não lhes vai em suas almas felinas. Apenas desprezam o poder porque desprezam a servidão, não são por natureza seres servis.



Daniel Gerhartz, - Winter’s Warmth



Franz Marc cat lying down sketch




          Le chat by Frans Masereel, 1955



Jacques Nam Gray Cat and White Cat. 20th century



 John Frederick Lewis -  Pre                                                       Raphaelite


Joseph Kleitsch - Angora  



  Liegende Katze (Boby), 1919 Ernst Ludwig Kirchner


Lucy Willis - Black Cat - watercolor


Midori Yamada


Conquistá-los requer paciência, principalmente muito respeito, uma vez que não podemos moldá-los a nós. É necessário conquistar-lhes a confiança, verdadeiramente fazer por merecer sua atenção e seu amor e então certamente, eles nos brindarão com um amor elegante, profundo, e intuitivamente conhecerão a hora certa de nos fazer sabe-lo. Há que possuir a capacidade de amá-los discretamente, penso eu, sem muito alarme, de forma requintada, meio que fazendo que não os vê para chamar-lhes a atenção. Receber o amor de um gato é um presente imensurável que cabe aqueles que sabem honrá-los.


          Mischa Askenazy  - 1888 a 1961



Norbertine Bresslern-Roth 



Saroyan, from Cats a Portfolio. 1943.-                                 Clare Turlay Newberry



Sketchbook Cat, wood block print - M.C Escher


Sleeping Cat - Ruskin Spear



Sleeping Cat Print by                                                                      Kellas Campbell



Sleeping Cat. Late 19th-early 20th century.- Jacques - Émile Blanche



The cat and the two sparrows, 1925                               Marc Chagall



Thomas Gordon Lindsay Gutteridge   - Watercolor of a Siamese cat


                Walter Anderson


Woman and Two Cats lithograph, 1969 - Will Barnet


Young Child with a Black Cat, 1908. Oil on canvas. - Nikolai Tarkhoff

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blogger Wordpress Gadgets