14 de mai de 2015

SOBRE A ARTE DE AMAR. – UMA HOMENAGEM A MINHA DALMATÁ.

Chiara.


Ontem perdemos nossa melhor amiga, companheira fiel por quatorze anos, ela se foi, sucumbiu a doença que vinha lhe maltratando, foi ser luz no firmamento. Aqui uma singela homenagem ao melhor cão que já existiu.

Chiara.                              


Assim como o nascer, o morrer é luta travada...
A morte deixando um rastro de ausências, de vazios silenciosos..
Veio devagar, quase imperceptível e foi tomando conta de você, embaçando o seu olhar, apagando sua alegria, minando sua vitalidade, destruindo suas forças. No final – só dor!
Tanta e tão intensa que doía em nós, impotentes diante do seu olhar, de seu sofrimento.
Então hoje, você pôde partir, finalmente. Se foi com a mesma dignidade e coragem com a qual você viveu. Assim como chegastes a nossa casa, você se foi, um raio de luz, que durante muito tempo tudo iluminou e tornou mais belo e agora que se foi, virou constelação.

Chiara sendo banhada por sua melhor amiga, Vanessa com sua amiga Sol.




Chiara                                 

Restam-nos as lembranças das horas felizes que se multiplicavam a cada dia, dos passeios que você adorava e tão ansiosamente aguardava, das ensolaradas tardes no atelier, você ao meu lado, ora deitada dormindo ao som de alguma música suave, ora observando orelhas em pé o ir e vir de alguma lagartixa ou o vagar de um inseto qualquer entre os raios de sol dourados do entardecer. Ambas tão felizes em poder compartilhar momentos preciosos, envolvidas pela arte e pelo verde jardim que você tanto amou.



    Esperando para passear


Dormindo no aconchego do                                                 atelier


Chiara no atelier observando o jardim.



Chiara, companhia constante ao meu lado no atelier.


Relembrarei com um sorriso no coração sua presença quando íamos cozinhar e você surgia não sei de onde pedindo passagem, pleiteando um lugarzinho somente seu, debaixo da mesinha de onde você me fitava tranquila e feliz, prestando atenção a cada movimento meu, a cada detalhe culinário. Depois de um tempinho, lá estava você adormecida, sonhando com os cheiros e aromas...


Chiara pedindo para entrar na cozinha.




Chiara sonhando.




Você que nunca foi ruidosa, que dominava a arte de pedir com o olhar, implorando seus biscoitos de cereais ou os “bifinhos” da vovó. Recordarei eternamente do som grave de seu latido que se fazia presente apenas quando necessário ou então quando entravam micos e gatos alheios em nosso jardim. Estes últimos, você ainda os tolerava, com uma ruga em sua testa, assim como consentias os nossos gatos, mas os miquinhos, ah! Estes micos danados, lhe tiravam a paz definitivamente...


Chiara comendo um dos  deliciosos “bifinhos” da vovó, estrategicamente de costas para não correr o risco de ter de dividir.


Chiara em posição ”apontar” escutando miados de gatos alheios.



Mico, o “desassossego” de                                                  Chiara.


Chiara estressada com os micos.


Sempre corajosa, temia somente as raras idas ao Veterinário (que neste último mês foram tantas) e o som do “poderoso Zopf” sendo fabricado. 


Massa do“ Poderoso Zopf” fermentando, fase que Chiara temia.



Zopf Bernês prontinho.                


Evocarei seu sorriso canino toda vez que intuías que andaríamos de carro porque era certeza de caminhadas por trilhas verdejantes e passeios pela lagoa. Rememorarei suas traquinagens e pequenas bagunças não obstante lembrarei sempre e também de sua inteligência, do seu porte elegante, do seu caminhar, sempre ao meu lado ou esperando por mim. Você, que nunca me falhou em nenhum único momento sequer, que seguiu firme e amorosa conosco por entre perdas e dores, que não me abandonou nem por um minuto quando meu medo se fez pânico, e que nunca, jamais me julgou.



Rabinho abanando: vamos                                                    passear?

Devidamente posicionada como copiloto.



Nosso “Passeio Fibras” – Trilhas no parque do Cocó.                                                                              


  Sorriso largo.



“Pit Stop” no riachinho da                                                   trilha


Inseparáveis – Vanessa e Chiara.



Segundo passeio predileto – lagoa.



Sorriso ao chegar.               


Vista da lagoa.


Abanando o rabinho para                                                            os Marrequinhos.

           Saudando a Chiara.

Banquinho do descanso.

A espera de um sorvetinho!
                                                                       (menos o da mamãe - de açaí)


Matutando baguncinhas...



Fazendo traquinagem no canteirinho da                  “mamãe”!


Fingindo indiferença....



Ah,  este seu olhar...               


Minha doce Chiara.


Guardarei no meu coração por toda a eternidade seu olhar cor de âmbar, o mais belo, profundo, amoroso e doce que já vi. 



 Chiara


Obrigado amiga minha, pelas alegrias, pelos risos que pude dar, pela sua amizade, pelo seu amor incondicional, pela bondade ímpar, pela fidelidade e por nos proteger, sempre, mesmo que fosse com sua vida. 


           Juntas sempre.


A morte é apenas passagem, uma curva mais acentuada em nossa jornada de vida, e em algum lugar, algum dia, sei que nos reencontraremos, todos nós.
Não lhe digo adeus, Chiara do meu coração, digo-lhe apenas, até breve...


Chiara já com mais idade.

Com todo meu amor, Dê.



Texto: Delia Corecco Steiner.

5 comentários:

  1. O amor nos unirá para sempre, pois no meu coração aonde quer que eu vá você vai sempre estar, e o meu amor contigo vai seguir. Sempre que fechar meus olhos seu lindo rostinho surgirá como uma eterna lembrança para confortar meu coração que só pulsa em mim dor e solidão....
    Não caberia melhor homenagem a você minha companherinha, minha doce Chiara, a você meu eterno muito obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda guardo no meu coração a última canção que cantei para você dormir meu anjinho...
      https://www.youtube.com/watch?v=y16zELMbPhE

      Excluir
    2. Delia Corecco Steinermaio 18, 2015

      Aminah, você foi o amor e a luz na vida da Chiara, e onde ela estiver, saibas que ela continuara a te amar e proteger.Te amo.

      Excluir
  2. Delia, eu não tenho palavras para descrever o que eu sinto ao ler este depoimento de amor, vc. disse simplesmente tudo! Não consigo conter as lágrimas. Eu te amo! A Chiara sempre ficará no meu coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Delia Corecco Steinermaio 18, 2015

      Obrigado, pelo amor, pela força e por ser quem és!

      Excluir

Blogger Wordpress Gadgets