20 de mar de 2014

UCRÂNIA - A GRANDE FOME – HOLOMODOR VISTO PELOS OLHOS DA ARTE.

                             HOLOMODOR - Victor Zaretsky - 1989.




"The wells in the field have dried up
Nobody was sowing, plowing
The hungry year, as a black bird
Was flying over the exhausted land..."

(from Village Folklore, 1920s).

"Os poços no campo secaram
Ninguém estava semeando, arando
O ano de fome, como um pássaro preto
Foi voando sobre a terra esgotada ... "


(Tradição Folclórica da Vila, durante os anos de 1920).
 



 

 
Entre 1932 e 1933, o regime comunista da União Soviética, comandado pelo ditador Joseph Stalin, promoveu uma reestruturação na agricultura, criando fazendas coletivas pouco eficientes e modificando os ciclos produtivos. Esta colectivização dos agricultores na década de 1930 teve resultados catastróficos em muitas partes da União Soviética e, de acordo com muitos relatos as medidas tiveram conseqüências trágicas na Ucrânia, onde aproximadamente quatorze milhões de pessoas morreram de fome.
 
 
The Road of Sorrow - Nina Marchenko.
 
 
 
There is nothing - Daniel Nemyrovsky.
 
 
O Coletivismo total da agricultura imposto pelo Comitê Central do partido comunista da União Soviética, em 1929, significava na prática forçar os agricultores a abandonarem a sua propriedade privada em prol do governo. Muitos agricultores ucranianos recusaram-se a cooperar. Mais de um milhão desses agricultores foram arrancados de suas casas e jogados em campos de trabalho forçado, Gulags, na Sibéria. Um grande número deles nunca voltou para casa.
 
Gulag - Vladimir Sergeyev Kutkin.


 
 Stalin and the Ukranians - Yevhen Luniov.
 
 
 
 
The Great Hunger - artist unknown.
 
 

O governo soviético conseguiu matar entre sete e quatorze milhões de ucranianos antes e durante o “Holodomor" que literalmente significa “morte pela fome” e,  é aplicado especificamente aos acontecimentos que tiveram lugar em territórios povoados pelos "ucranianos étnicos”. Seus métodos foram forçar os camponeses e civís, incluindo crianças ao trabalho escravo, execuções sumárias e morte por fome.
 
 Homeless - Mykhailo Dmytrenko.
 
 
 
One cannot forget - Vira Kuleba-Barynova.
 
 
 

Em 1930, 25.000 militares comunistas soviéticos fortemente armados foram enviados para a Ucrânia para perpetuar o coletivismo. Assim teve início o "Holodomor", a fome forçada. Uma vez que um agricultor abandonasse sua propriedade e fosse trabalhar em uma fazenda coletiva, todos os seus pertences, incluindo equipamentos, gado e colheitas, passariam a pertencer ao governo soviético. A partir de 1932, Stalin impôs aos agricultures ucranianos, quotas de grãos impossíveis de serem alcançados nas fazendas coletivas.
 




 Everything belongs to the State - Artist unknown - Ukraine.
 
 
A impossibilidade para os agricultores cumprirem as quotas de grãos e alimentar suas famílias era de conhecimento total do Governo Soviético parecendo ser exatamente o objetivo do mesmo, assim como forma de punição pelo não alcançe das cotas e, segundo relatos, para dar início a eliminação étnica na Ucrânia; Moscou começou a enviar seus militares para as vilas onde procuravam de casa em casa por grãos escondidos. Bastava um punhado de grãos para que os camponeses perdessem também suas casas e fossem punidos por “Entesouramento de Bens de Propriedade do Estado”. Não demorou muito para que milhões de pessoas começassem a morrer. Durante o Holodomor, houve momentos em que até 25 mil ucranianos morriam de fome em um único dia. Muitos deles morríam nos campos, cercados por grãos dos quais não eram autorizados a levar nada. Há relatos de sobreviventes que  dizem ter presenciado a execução sumária de crianças que tentavam subtrair um punhado de grãos dos campos para levar para mães ou pais que morriam de inanição em suas casas.
 
 
 
Famine 1933 - Volodymyr Kutkin
 
 
 
Where di you hide the Grain? - Mikhailo Ivanchenko - Ink on Paper.
 
 
Complete Collectivitazion - Volodymyr Kutkin.
 
 

Os soviéticos usaram os grãos dos campos da Ucrânia para alimentar os trabalhadores em suas cidades, o que sobrou foi exportado. Em 1932, eles se apossaram de 18,1 milhões de toneladas de grãos a partir do trabalho escravo dos agricultores pobres da Ucrânia. Em 1933, eles levaram dez milhões de toneladas rumo a "Mother Russia". Há sinais que indicam de que as sobras que não conseguiam exportar ficavam armazenadas em silos, na União Soviêtica e em instalações militares, muitas vezes chegando a apodrecer enquanto os ucranianos morriam de fome.
 
Zemiilia (Earth) - Bohdan Pevny.
 
 
 Sister, Sister, Woe to you! - Kutkin.
 
 
 
Pleading - Pleading...Bondarenko
 
 
 
Ilko Myronenko Kosovytsia - Dead over Ukraine.
 




Sobre o quadro acima:
 
Ilko Myronenko era um professor em uma escola na periferia de Kiev. Ele usou seus desenhos para contar a seus alunos sobre Holodomor (1932-1933 ), na Ucrânia.
 
 
 
 
Mother - Nina Marchenko.
 
 

O Holodomor tornou-se recentemente amplamente reconhecido como um genocídio e crime contra a humanidade. A maioria dos estudiosos concorda que foi uma tentativa deliberada do Governo Soviético de, obviamente, acabar com a oposição camponesa na Ucrânia, porém os defensores do sistema e ideologia soviéticos dirão que foi apenas uma decisão mal tomada pelo partido. Na minha opinião e, creio que assim todos concordaremos, o “Holomodor” foi um momento terrívelmente triste na história recente e deve ser lembrado como tal. Que possamos aprender com os erros do passado para que os mesmos não se repitam mais.
 
Kasimir Malevich - Peasant between a cross and a sword. - 1932.
 
 
 
Artist Vira Kuliba in front of her pinting "Unforgettable"
 
 
 


"Enquanto sua ideologia identificar a principal fonte de males do mundo como um grupo definível, ela acabará por levar ao genocídio." - Steven Pinker.


 
1933 - Mykhailo Dmytrenko.
 
 


“Lembrem –se: não são apenas as pessoas más que cometem genocídio; todos nós somos capazes disso.“ – James Lovelock.
 
 
The last road - Nina Marchenko
 
 
Those crows have flown - Ivan Novobranets Poltava
 
 
In the year of 1933 - Ivan Novobranets Poltava
 
 
 
Holodomor Genocide - Orysia Sinitowitch - Gorski.
 
“O que conecta dois mil anos de genocídio? Muito poder em poucas mãos.” - Simon Wiesenthal.
 
 
Holomodor Memorial - Statue of emaciated girl.
 


 
 
 

 
 


3 comentários:

  1. "O poder é o camaleão ao contrário: todos tomam a sua cor." - Millôr Fernandes.

    "Ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar uma revolução. Faze-se a revolução para salvaguardar a ditadura." – 1984, George Orwell.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Delia Corecco Steiner.março 22, 2014

      Sábias palavras!

      Excluir
  2. que "reportagem" emocionante e essencial! Todo mundo fala do Hitler e esquece que Stalin não era nem um pouco menos anticrístico.

    ResponderExcluir

Blogger Wordpress Gadgets