10 de out de 2013

FATOS CURIOSOS DA HISTÓRIA DA ARTE - O ROUBO DE MONA LISA

Mona Lisa - Leonardo da Vinci.




Como é comum em segundas-feiras para museus, o Louvre estava fechado em 21 de agosto de 1911. E, justamente nesse dia, a mais famosa pintura do célebre museu em Paris, a Mona Lisa,de Leonardo Da Vinci, sumiu.O prefeito de Polícia de Paris, o famoso e popular Louis Lepine, é chamado às pressas. Este envia ao local sessenta inspetores de policia e um renomado criminalista em busca de pistas. As 14h45 as portas do museu são fechadas com exceção de uma para filtrar a saída de todos. O motivo dado ao publico foi um problema de canalização d’agua. Em Paris, a população ainda não sabia de nada sobre o roubo.


 
Louvre, “Salon Carré”,conhecido pelos quadros Renascentistas exibia em 21 de agosto de 1911 entre um quadro de Titien e um outro de Corrège,  apenas um espaço vazio e quatro parafusos perdidos, no local onde deveria estar o quadro de Mona Lisa.
O museu é vasculhado do subsolo ao telhado e finalmente uma pista é encontrada bem embaixo da escadaria que leva a escultura da “Vitoria de Samotrácia”. Lá estava a valiosa moldura de madeira renascentista, o vidro de proteção (novidade na época contra vandalismo) e uma impressão digital bem visível. Os 257 funcionários que estavam de serviço foram interrogados e tiveram suas impressões analisadas, porém ninguém pode ser incriminado.
 
Escadaria  que leva a
escultura "Vitória de Samotrácia", escultor desconhecido.
 
"Vitória de Samotrácia"


 
Guillaume Apollinaire.
 
Nesse período no qual  o quadro  Mona Lisa ficou perdido, muitos suspeitos, incluindo o poeta francês Guillaume Apollinaire e o pintor espanhol Pablo Picasso, foram presos e interrogados sob suspeita do roubo da obra-prima da pintura italiana.
 
Pablo Picasso.
 
O curioso é que, até aquele momento, o quadro não atraía os milhares de visitantes que atualmente inundam o Louvre, grande parcela interessada unicamente em decifrar o sorriso da mulher retratada.
Tanto que, no momento do roubo, a Mona Lisa estava em um lugar discreto do museu e só era apreciada por entendidos de arte. Somente uns poucos funcionário faziam trabalhos de manutenção e reforma nos salões do importante acervo artístico em Paris quando um deles, Vicenzo Peruggia, se aproximou do quadro e o levou.

 
Quadro de Mona Lisa é recuperado. (foto de autor desconhecido)

Dois anos depois, a informação de um comerciante de antiguidades levou a Polícia de Florença à província de Como, no norte da Itália. Lá, Peruggia estava vendendo a pintura. Ao ser detido, ele confessou o crime e o justificou com um motivo incomum: patriotismo. O pintor disse que queria apenas levar de volta a seu país um dos maiores tesouros da arte italiana e, assim, vingar-se de Napoleão, que no século anterior teria confiscado a obra.

2 comentários:

  1. Fato histórico interessantíssimo !!! Adorei ficar sabendo um pouquinho mais sobre esse assunto...

    ResponderExcluir
  2. A História da Arte nos revela seus segredos e nos faz a cada dia um pouco mais cultos, porque arte é cultura! Obrigado por estar sempre conosco.Bjs

    ResponderExcluir

Blogger Wordpress Gadgets