14 de fev de 2016

A ARTE RECICLADA DE J.K BROWN – UMA ARTE REVIVIDA.

Kingfisher 


Sucatas de metal revivem através das mãos habilidosas do artista John Kennedy Brown. O artista radicado no país de Gales reaproveita materiais metálicos que encontra em sucatas e os vai juntando. Neles é capaz de enxergar obras de arte extraordinárias e de singela beleza. Idealiza e concebe desde as mais delicadas Borboletas á pássaros coloridos.


 Butterflies                         


Quando criança, Brown diz ter usado muito de seu tempo criando e usando sua imaginação. Os objetos inanimados de seu entorno assumiam vida própria para seu divertimento. Eu imaginava outros mundos e seres que habitavam os meus sonhos lhes dando vida através de meus desenhos, e por intermédio deles viajava em minhas fantasias.

                                               Self Portrait 



 Dragon.                              

Especializado em design e Ilustração, Brown diz ter desenvolvido um grande amor ao desenho e a pintura ao longo de sua vida se inspirando no realismo de artistas como Caravaggio, Vermeer e Rembrandt, que tinham em comum o estilo barroco bastante formal de pintar.

                  Caravaggio - Self Portrait.




A arte da pintura de JanVermeer.


        Self-Portrait - 1659 -  Rembrant



Estudou pintura e cursou Belas Artes no Cheltenham College , escolhendo um curso voltado para a arte tradicional representativa. Porém com o tempo foi se interessando por outros movimentos da arte e passou por uma transição. Seu interesse se voltou para artistas que criam esculturas específicas como os pertencentes ao movimento Land Art ¹( anos 60/70).


Cheltenham College.


Exemplo de Land Art.


Artistas como Richard Long, David Nash e Andy Goldsworthy chamaram sua atenção fazendo com que não apenas continuasse com seu interesse por objetos encontrados na natureza mas também lhe chamaram a atenção para que através de suas novas criações conscientizasse a todos da importância da reciclagem e do uso consciente de materiais para o mundo e a natureza.


                   John Kennedy Brown at work.



Richard Long at work.


David Nash with ''Red and Black Dome,'' 2006.


Andy Goldsworthy working.













 Dragonfly.                        


                                 Ant.


 Mantis Bug                                               


Mantis Bug detail


    Grasshopper


 Wasp.                               

                          Scorpion



Snake.


Brown conta em suas entrevistas que desde os tempos de menino se lembra de ficar extasiado em poder observar a natureza, admirando os animais, percebendo as menores nuances em cores e formas, espreitando sons e movimentos os quais ele traduzia em pequenas esculturas e em seus desenhos, como forma de celebrar  a essência de tudo aquilo que nos cerca, da vida em si. Em suas caminhadas recolhe os fragmentos daquilo que outros simples e desavisadamente jogam fora, e então pacientemente transforma e remonta tudo, gerando novamente harmonia entre os elementos tomando como modelo o mundo natural no qual se encontra inserido. Ele diz crer que o seu próprio processo de reversão dessa fragmentação é, para ele, um antídoto calmante para a loucura do consumo interminável ao que o mundo está exposto.


Capercaillie                          


                                        Magpie  - detail                                         
                                              
                                                 Magpie  - detail                          


Eagle.                                                  



                               Crow 


Horse


 Horse                            

Frogs


Gecko


Como as borboletas que cria, sua arte passa por uma verdadeira metamorfose, desvendando faces ocultas daquilo que nós talvez nunca chegássemos a notar. A arte se faz ver de várias maneiras desde as mais tradicionais as mais inusitadas, pintura , escultura, fotografia, não importa o material, não interessa os meios, o que de fato é significativo é o sentimento que aquele objeto de arte deixou em nossos corações, porque a verdadeira arte, seja ela qual for e de onde vier deixará pegadas em nossas almas e falará por si só.

                                               Butterflies


   Butterfly



 Moth



Butterfly.


10 de fev de 2016

GIOVANNI GIACOMETTI - AS CORES DA LUMINESCÊNCIA.

 Penseriosa -  1913 -  oil on canvas – Giovanni Giacometti 


“NA PINTURA AS CORES DEVEM CONVERTER-SE EM FORMA, LUZ E VIDA” – GIOVANNI GIACOMETTI.
    

Giovanni Giacometti –                                                         Nevicata – Snowfall – 1919 – oil on canvas


                       Giovanni Giacometti


Pintor desenhista, aquarelista, xilo gravurista e lito gravurista suíço, pai dos também famosos, Alberto Giacometti (pintor e escultor), Diego Giacometti (escultor e designer) e Bruno Giacometti (arquiteto) assim como de Otilia, sua única filha. 


Alberto Giacometti   Sculptor/Painter  


Diego Giacometti in his Studio (Atelier) - Sculptor/Designer                                                     


Portrait Otilia Giacometti 1912 Oil                                                             Painting - Giovanni Giacometti


Bruno Giacometti  - 1916 -  painted by Giovanni Giacometti - oil on canvas - Architect


Giovanni Giacometti sempre despertou em seus filhos o amor e talento pelas artes. Nascido em sete de março de 1868, na pequena vila montanhesa de Stampa, no Val Bregaglia vale alpino, a poucos quilómetros da fronteira suíço-italiana, nos Grisões ( Graubünden), único cantão trilíngue da Suíça, onde se fala alemão, italiano e majoritariamente o romanch . 


Stampa Brücke – Bregaglia – Svizzera.


Spring in Stampa 1911 –                                                                       Giovanni Giacometti


Paesaggio di Bregaglia (novembre). /Bergell landscape. 1924 – Giovanni Giacometti


    Wells in Stampa - 1921.




Quarto de oito filhos de um albergueiro, Alberto Giacometti-Santi e da dona de casa Caterina Ottilia Giacometti-Santi , desde muito pequeno demonstrou interesse por desenho e pintura. Aos dezoito anos, no ano de 1886, mudou-se para Munique – Alemanha a fim de estudar na escola de Belas Artes local. Lá conheceu o também artista suíço Cuno Amiet, e a amizade ali travada por ambos duraria por uma vida inteira. O artista Cuno Amiet  se tornaria mais tarde padrinho de Alberto Giacometti, filho mais velho de Giovanni Giacometti. Juntos, os dois amigos foram a Paris, (de 1888 a 1892) estudar na Académie Julian, tendo como mestre William-Adolphe Bouguereau, assim como na também reconhecida École Nationale des Beaux-Arts.  Depois de um tempo em Paris,  acabou ficando sem recursos e enquanto seu amigo Cuno Amiet, descontente com o ensino da Arte "académica", se juntava à Ecole de Pont-Aven, situada na cidade conhecida como “ a cidade dos pintores”, na Bretanha. Giovanni Giacometti se viu forçado a cancelar seus estudos de arte na França por falta de recursos retornando para casa na Suíça em 1891. Todavia, em sua vila em meio às montanhas, viria a se sentir solitário e isolado do mundo da arte sem inspiração para novas obras, acabando por entrar em depressão. Ainda assim participou de uma exposição em Berna, capital da Suíça, chamada a “Nationale Kunst Austellung”, onde conseguiu vender algumas de suas obras. Em um último esforço para se curar, e usando o dinheiro que arrecadou ali, tentou sua sorte buscando inspiração em uma longa viagem pela Itália (de janeiro a outubro de 1893), permanecendo por mais tempo em Roma e Nápoles onde infelizmente obteve pouco sucesso com a venda de suas pinturas o que acarretou seu retorno ao lar, mais doente e desamparado que antes. Contudo seu amor pela arte fez com que não desistisse da mesma. No ano de 1898 finalmente seu esforço foi recompensado e juntamente com os artistas Cuno Amiet e Ferdinand Hodler expôs trabalhos seus, com sucesso, no “Kunsthaus Zürich”  em Zurique – Suíça, onde foi reconhecido merecidamente por sua bela coletânea. A partir deste momento, ele começou a expor seus trabalhos todos os anos em grandes cidades europeias.


Das Porträt der Familie Giacometti (ganz links Alberto schaut seine  Mutter an) -  Foto Andrea Garbald/ O retrato de família Giacometti (mais à esquerda Alberto olha sua mãe ) - foto Andrea Garbald/ Giacometti Family circa 1910, from left to right: Alberto, Bruno, Giovanni, Annetta. In front, Diego and Ottillia.


Akademie der Bildenden Künste München - Escola de Belas Artes de Munique – Alemanha


Cuno Amiet.                      

Académie Julian 1889 - Paris.



L’interieur de L’ Académie Julian.        

               William-Adolphe Bouguereau



École Nationale des Beaux-                                                        Arts – Paris


Standing Male Nude, between                                                                       1889-91, Giovanni Giacometti.


Le port de Pont-Aven - 1878 - Gaston Roullet  ( um retrato da cidade de Pont-Aven à época)


Kunsthaus Zürich – visão de seu interior.


Em suas primeiras incursões na pintura seus traços e pinceladas seguras exibiam a espontaneidade da pintura naturalista. 

Stonebreakers at Lungotevere -  1893 – Giovanni Giacometti


Na atmosfera sul italiana inundada de luz, sua palheta se torna mais colorida, iluminada, cheia de riqueza em tonalidades. 


Giovanni Giacometti –                                                                         Boys on the beach


Giovanni Giacometti - Canal Naviglio with Two Fishing Boys


Garden – Giovanni Giacometti                  



Schützenfest – 1988 – Giovanni Giacometti


Em 1894, o já famoso e bem sucedido pintor italiano Giovanni Segantini, se instalou na vila vizinha de Maloja.  

Giovanni Segantini – 1878               


A amizade de ambos seria fundamental para Giacometti, pois Segantini, dez anos mais velho e artista experiente se tornou seu mentor, exercendo enorme influência sobre ele. A partir deste encontro sua pintura será reorientada e tomará de início formas Simbolistas. Suas obras começarão a se opor ao naturalismo vislumbrando o mundo e seus aspectos únicos como símbolos de uma realidade bem mais profunda e subjetiva, dando primazia à expressão de uma realidade diferente a tangível que equivaleria à emoção desencadeada pela experiência. 


            Spring – Giovani Giacometti


Bread – Giovanni Giacometti


Uma de suas pinturas daquela época é o impressionante “Segantini auf dem Totenbett” – “Segantini em seu leito de morte” de 1899, que retrata o artista plástico Italiano Giovanni Segantini , seu amigo e mentor,  apos seu falecimento.


Segantini  - Totenbild – Giovani Giacometti



Em termos de estilo, o divisionismo de Segantini será o primeiro modelo da corrente neo impressionista para Giacometti, cujas obras rapidamente demonstrarão a separação das cores em pinceladas que por sua vez farão surgir pequenos pontos ou traços de cor pura nas telas. Ambos os artistas demonstravam grande preocupação em intensificar a luz e as sombras, assim como lhes era caro acentuar as matizes , alcançando tais efeitos através da justaposição em pinceladas, de pequenas manchas e pontos de tintas nas cores geralmente complementares, sem, no entanto deixar que se misturassem , provocando desta forma apenas uma fusão óptica. Ansiavam convidar o espectador a avaliar de forma mais elevada à experiência sensitiva da cor e dos traços dando menos importância à aparência real /natural dos objetos retratados.


Giovanni Giacometti -                                                                           1907 - Cavalli al sole

Fioritura – 1900 – Giovanni Giacometti



Abend auf der Alp  - 1906                                                                 - Giovanni Giacometti - divisionismo


Nell’ Osteria  - 1915 – Giovanni Giacometti



Winter – 1910 – Giovanni                                                        Giacometti

Após a morte de Segantini em 1899 as obras de Giacometti, ainda que plenos da influência de seu mentor vão gradativamente tomando forma própria. No lugar da atemporalidade simbólica nasce a magia volátil impressionista da inflorescência em uma árvore, da beleza do amanhecer ou do encanto de um pôr do sol.


Giovanni Giacometti -  'Valle Fiorita' -  1912-1924


Giovanni Giacometti - Unter dem Nussbaum - 1908



Winterabend  Noite de                                                                           inverno  -  1905 -  1906


Travaria conhecimento ainda com outro artista suíço, Ferdinand Hodler, que lhe ensinaria a criar uma composição adequada na utilização rigorosa e ornamental de formas e cores.

        Ferdinand Hodler – Self Portrait.


Em 1900 ele se casou com Annetta Stampa e os dois se estabeleceram em Borgonovo, no cantão Grisões - Suiça onde seu filho Alberto nasceu em 1901, seguido por Diego (1902), Ottilia (1903) e Bruno (1907). Neste ponto uma fase de emancipação artística toma forma e Giacometti superaria também a intensa influência que Ferdinand Hodler exerceu sobre seus trabalhos. 


Self Portrait – 1907 – Giovanni Giacometti


Anetta - 1911 – Giovanni Giacometti























Giovanni Giacometti’s Children– 1910 – Diego, Alberto, Bruno and Otilia (from right to left)


Alberto und Diego -  1903 – Giovanni Giacometti


Children in Bed, 1907 , by Giovanni              Giacometti


Maternité – 1908 – Giovanni Giacometti 


Em 1910 Giacometti foi convidado para expor em Dresden com artistas da "Brücke". No mesmo ano, Giacometti obteve um grande sucesso com uma exposição individual e no "Kunsthaus" em Zurique, em 1920, suas obras foram expostas novamente em Berna, não com menos sucesso. Seguiram-se várias exposições individuais internacionais.


Ernst Ludwig Kirchner - Die Brücke – Ausstellungsplakat der Galerie Arnold in Dresden.Poster da exposição do grupo expressionista Die Brücke em Dresden.





Kunsthaus Zürich “– uma das mais importantes galerias de arte da Suíça,  abriga uma coleção de todos os períodos importantes da arte europeia – desde a Idade Média até o presente.



Das Stiegenhaus , Kunsthaus Zürich, im Jugendstil, mit einem Gemälde von F. Hodler/ A escadaria em estilo art nouveau do “Kunsthaus Zürich” , com uma pintura de F. Hodler



Kunsthaus Zürich.


Em um ambiente íntimo e familiar, a luminescência tão própria à atmosfera montanhesa das aldeias do Engadin, o estimulou, tomando conta de suas pinceladas, fazendo-o encontrar finalmente seu próprio caminho na arte. Divisou a luz como papel central de seu trabalho e constatou sua habilidade em retratar a luminosidade em todas as sua nuances. Constatou como ele mesmo diria, que: “Para o pintor tudo se torna real através da luz clareando seu ponto de vista, tornando realidade seus sonhos de infância.”. Ao longo de suas atividades artísticas, Giovanni Giacometti sempre explorou as possibilidades expressivas da luz na pintura e lhe era característico o trabalho ao ar livre ou diante das janelas de seu atelier.


Spring in Bergell  - 1912 –                                                               Giovanni Giacometti


Snow mountains, 1914 / Giovanni Giacometti



Morgensonne am                                                                                  Silsersee. 1924. Oil on canvas



Bacaria – Metzgete - 1924


Giovanni Giacometti  - Wintersonne bei Maloja – 1926 -  Öl auf Leinwand


Giovanni Giacometti  -                                                                          Sera d’inverno, Corvatsch. 1924


Giovanni Giacometti  - Feldarbeiter. Ca. 1922

















Giacomettis Atelier             


Giacometti house and atelier in Stampa.


Giacometti's atelier in Stampa. Photo by Chair Prof. J. Ll. Mateo.



Um exemplo desta habilidade em captar a luz pode ser apreciado em seu quadro “A lâmpada” – de 1912, pintado em casa a luz de uma luminária comum, onde Giacometti atribui alto impacto as cores fazendo com que a pintura vibre à luz de uma lâmpada de óleo, em torno do qual se reunia a família Giacometti.


The Lamp – 1912 – Giovanni Giacometti



Um olhar mais atento a suas obras nos permite seguir com ele pelo seu caminhar artístico culminando no desenvolvimento de sua própria linguagem. Em suas obras travou diálogos artísticos com Amiet, Hodler, Segantini e Van Gogh, se encantou e retratou os estilos realista, divisionista, impressionista, onde suas pinceladas se tornam mais soltas e graciosas dando ênfase a luz e ao movimento . Ao acentuar em suas obras a cor e bi dimensionalidade adentra ao estilo pós-impressionista até chegar à liberação da cor exaltando seus contrastes cromáticos produzindo um maior contraste visual e força cromática, tão característicos do fauvismo.


Portrait of a Garden - Cuno                                               Amiet


Maggia Delta before sunrise - Ferdinand Hodler



Giovanni  Segantini - G.Segantini,Tod (Alpen-Triptychon)


Van Gogh  - Starry Night –                                              1889


Le deux enfants ( after Van Gogh) – Giovanni Giacometti


















Dans la grange de chèvre                                                        -  1896 – Giovanni Giacometti - Realismo


Regentag bei Capolago/ Dia de chuva perto de Capolago 1906/07 - Divisionismo



Flimser Panorama  1904


Der_Scherenschleifer - 1891                   


Family Portrait Under the Elder Tree -  1911 - Fauvismo



Badende Knaben – Giovanni Giacometti



Theodora - 1914 -                                                                                Giovanni Giacometti


Diante da expressiva riqueza das inúmeras obras de Giovanni Giacometti pode nos parecer surpreendente a pequenez e o isolamento geográfico do mundo no qual ele esteve inserido a maior parte de sua vida e que, porém lhe forneceu a maior parte da temática de suas criações artísticas.


Farmers in the fields near Maloja -  Giovanni Giacometti


   Maloja  - Giovanni Giacometti - 1925


Winter in Stampa - Giovanni                                          Giacometti


                         La Maira  - 1919



Portrait of a Farmer – Giovanni                                                   Giacometti – 1912


Contadina – Giovanni Giacometti



Em suas próprias palavras ele descreveria seus sentimentos em relação a terra natal da seguinte forma: “Esta minúscula faixa de terra em meio as montanhas é para mim todo o universo”, não é apenas um expressão de amor pela sua pátria, é também uma proposição mais profunda, valiosa para sua arte, a razão pela qual pintava, os temos que se transformaram em pura expressão , porque nela retrataria tudo que ama

Stampa - Giovanni Giacometti


As paisagens de Bregaglia e do vale montanhês de Engadin, os rostos de sua família e de seus vizinhos, os animais do campo e a passagem das estações e dos fenômenos meteorológicos, representam quase todo o seu repertório. No entanto ao retratar seu microcosmo, este lhe forneceu o necessário para que o artista dentro dele pudesse fazer nascer na ponta de seu pincel a luz e as cores captadas por sua visão, fazendo-as passar por sua alma se expressando em luminosidade cromática.


Lavandaie – Giovanni                                                                  Giacometti   


Sole D'autunno  - 1908 - Giovanni Giacometti

                            
     Alberto und Diego - 1903 - oil on                                                           carboard. 


Alberto reading -  1915
                       
                                               

Giovanni Giacometti  - Reflections of the Sun
     

Alberto – Giovanni                                                                    Giacometti.


Kranker Knabe – Giovanni Giacometti



Bergeller Bauernjunge (Peasant Boy From Bergell)


Giovanni Giacometti - Die Kartenspieler 1918 oil on canvas


Mattino d’estate – Giovanni                                           Giacometti


Giovanni Giacometti – 1910 -  Fröhlicher Jäger

Anetta e Giovanni nell'atelier  di                                pittura


   Giovane Ragazza – Giovanni Giacometti


Plazetta  - 1929 – öl auf                                                     Leinwand.


Giovanni Giacometti – 1931/32 -  Cows in a Mountain Landscape



Giovanni_Giacometti – Crotti di                                                                    Bondo - (1919) oil on canvas


Waldweg - 1917 - Giovanni Giacometti.


A contribuição de Giovanni Giacometti para a renovação da pintura do século XX em seu país foi fundamental. Em conjunto com os artistas Cuno Amiet e Ferdinand Hodler, foram considerados os pais da arte moderna local, sendo os primeiros representantes da manifestação colorista¹ na arte Suíça. O artista faleceu no ano de 1933 em Glion – Montreux, Suiça.


Annetta e Giovanni Giacometti



Giovanni Giacometti in his studio


Giovanni Giacomettis signature


Auto poträt - 1925 - Giovanni Giacometti


¹Colorismo é uma técnica na pintura característica, sobretudo advinda da antiga escola veneziana que atribui maior importância a pigmentação e as cores sobre os objetos retratados em oposição à linearidade. É a busca por cor na arte pictórica visualizando melhorar os componentes do matiz em várias composições e gradação de cores, ou seja, a quantidade de luz e sombra contida nos tons individuais, em relação a uma pintura. Como exemplos da pintura colorista veneziana dos séculos XVI e XVII .podemos citar os pintores Ticiano, Tintoretto, Rubens e Velasquez.


Blogger Wordpress Gadgets