25 de abr de 2014

61.000 VISUALIZAÇÕES.

 
 
 

"A arte parece-me ser, sobretudo, um estado de espírito." - Marc Chagall

"L'arte mi sembra essere soprattutto uno stato d'animo." - Marc Chagall

"L'art me semble être avant tout un état d'esprit." - Marc Chagall

"El arte me parece ser ante todo un estado de ánimo." - Marc Chagall

“Art seems to me to be a state of soul more than anything else.” – Marc Chagall

"Die Kunst scheint mir vor allem ein Seelenzustand zu sein." - Marc Chagall

EŞREF ARMAĞAN – O ARTISTA QUE PINTA COM A ALMA.


O que é a percepção artística? Como as cores e as imagens nos chegam quando vamos pintar? Diríamos logo, sem refletir muito que através do olhar, da nossa observação. E o que dizer de uma pessoa que pinta apenas com a percepção da alma? Eşref Armağan é um pintor cego, que nasceu desprovido da visão. Nunca foi capaz de ver as cores ou imagens, mas possui a habilidade de entendê-las como ninguém.
 
Eşref Armağan -  desenhando uma concha do mar.
 
 
Eşref Armağan - pintando.
 

Luar - Eşref Armağan.
   
 Flores - Eşref Armağan.
 
Revoada de Borboletas - Eşref Armağan.
 
 
Eşref Armağan nasceu em 1953, em Istambul, Turquia. Nascido em uma família humilde veio ao mundo com uma má-formação em ambos os olhos e completamente sem visão. Ainda pequeno porém, pediu que lhe dessem lápis e papel e iniciou sua jornada espiritual através do mundo dos desenho e da pintura.
Sua intuição o levou a desenhar figuras, pois dizia querer aprender sobre o mundo que não podia ver, mas que certamente sentia. Usando a ponta dos seus dedos para perceber o mundo começou a pintar borboletas aos oito anos e chamou atenção de quem as via, por suas belas cores e pelo formato perfeito.
Borboletas são consideradas seres etéreos, são símbolos da transformação, da felicidade, da beleza, da efemeridade, da natureza e da renovação, o que nos faz refletir sobre a necessidade do menino Eşref Armağan em retratá-las. Assim, foi capaz de trazer seu mundo interno para fora e talvez através da simbologia das borboletas ele de uma forma sutil nos presenteou com sua própria metamorfose. 
 
 Borboleta - Eşref Armağan.
 
 
Borboletas e girassóis - Eşref Armağan.
 
 
Borboletas e flores - Eşref Armağan.
 
Mais tarde, quando começou a usar as cores da paleta em perfeita harmonia, utilizando-se da perspectiva, sombra, luz e equilíbrio em seus quadros, ele atraiu a atenção de artistas e cientistas internacionais. Em 2004, a Universidade de Harvard, impressionada com sua genialidade, convidou-o para se submeter a testes e tomografias (cerebrais e oculares) computadorizadas supervisionadas por médicos e cientistas. Os resultados impressionaram a equipe de estudiosos que descobriram descobriram que o Córtex Visual do cérebro, basicamente escuro em deficientes visuais, se iluminou quando Esref tocou um objeto e começou a desenhar. Além de tornar-se tema de um artigo pela famosa revista "New Scientist", e um dos destaques do documentário “The Real Superhumans” do Discovery Channel.

Praia - Eşref Armağan.


Neve - Eşref Armağan.
 
 
Minarete - Eşref Armağan
 

Esref desenvolveu suas próprias técnicas, a fim de representar com sucesso uma variedade de tópicos. Primeiro, ele cria a totalidade do quadro em sua cabeça com as cores que ele vai usar. Ele usa apenas 5 cores, além do preto e do branco e, a partir delas suas inúmeras possibilidades de tons e nuances para representar a imagem que carrega no pensamento. A partir de então, é um caso de concentração, entrega e dedicação para finalizar a obra. Suas pinturas lembram a arte naíf, possuem ingenuidade e espontaneidade inocente, as cores brilhantes contrastam com a perspectiva não cientifica captada pela percepção quase que infantil, e por isto mesmo de uma profundidade ímpar.

Eşref Armağan.
 
 
Pássaro - Eşref Armağan.
 
 
Aves - Eşref Armağan.
 
 
 Palhaços - Eşref Armağan.
 
 
 Farol - Eşref Armağan.
 
 
Intuição - Eşref Armağan.
 
Peixe - Eşref Armağan.
  
Quadros imaginados no silêncio de um sonho. Ele queria transpor seus limites. Ele queria conquistar o mundo do ver, que havia sido presenteado ao pai, mãe, irmão, amigos, vizinhos. Compreender suas regras; se não podia com os sentidos, então pela capacidade de imaginação. "Eu tentava apenas compreender o que há em volta de mim," ele responde à pergunta, porque passara uma grande parte de sua infância a desenhar. 
 
Sonho - Eşref Armağan.
 
Não há limites para a criação artística. Somente nós é que impomos nossos limites. A Arte é o retrato de nossa alma, e assim sendo, eis que tenho o prazer de lhes apresentar um pouco da alma de Eşref Armağan.
 
Sonhos 2 - Eşref Armağan.
 
Artigo New Scientist:




 

 

23 de abr de 2014

FELIZ DIA DA TERRA.





Oração para a Mãe terra – Povo Lakota/Sioux
"Oh grande mãe terra
Cuja voz que ouço nos ventos, cuja respiração nos presenteia com a vida, a existência de todo ser vivente no mundo, ouça-me!
Sou tão insignificante e fraco, preciso de suas forças e sabedoria.
Deixe-me andar em beleza e faça meus olhos sempre contemplarem o pôr do sol em tons dourados
Faça com que minhas mãos respeitem as coisas que você fez e que meus ouvidos saibam sempre ouvir sua voz.
Dê-me sabedoria para que eu possa compreender as coisas que você ensinou ao meu povo.
Deixe-me aprender as lições que você tem escondido em cada pedra, folha e flor.
Busco força em tí, não para ser maior do que o meu irmão, mas para lutar contra meu maior inimigo que sou eu.
Faça-me sempre pronto para chegar até você com minhas mãos limpas e o olhar altivo e sincero.
Então, quando a vida se desvanecer em mim como o pôr do sol desfalecendo, o meu espírito pode vir a você sem vergonha."

Estamos postando nossa homenagem a mãe terra com um dia de atraso por motivos de força maior, porém não com menos devoção uma vez que para nós, todo dia é dia dela!
Agradecemos também a belíssima Arte Gráfica a Vanessa Corecco Calado, que sempre nos honra com seus trabalhos.

20 de abr de 2014

FELIZ PÁSCOA.

 

O Sabbat do Equinócio da Primavera, também conhecido como Sabbat do Equinócio Vernal, Festival das árvores, Alban Eilir, Ostara e Rito de Eostre, é o rito de fertilidade que celebra o nascimento da Primavera e o redespertar da vida na Terra. Nesse dia sagrado, na Europa existem os costumes de acenderem-se fogueiras novas ao nascer do Sol, onde o povo se rejubila, tocando sinos e decorando ovos cozidos - um antigo costume pagão associado à Deusa da Fertilidade.

Os ovos, que obviamente são símbolos da fertilidade e da reprodução, eram usados nos antigos ritos da fertilidade. Pintados com vários símbolos mágicos, eram lançados ao fogo ou enterrados como oferendas à Deusa. Em certas partes do mundo pintavam-se os ovos do Equinócio da Primavera de amarelo ou dourado (cores solares sagradas), utilizando-os em rituais para honrar o Deus Sol.

Os aspectos da Deusa invocados nesse Sabbat são Eostre (a deusa saxônica da fertilidade) e Ostara (a deusa alemã da fertilidade). Em algumas tradições as deidades da fertilidade adoradas nesse dia são a Deusa das Plantas e o Senhor das Matas.

Como a maioria dos antigos festivais pagãos, o Equinócio da Primavera foi cristianizado pela Igreja na Páscoa, que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. A Páscoa (em inglês "Easter", nome derivado da deidade saxônica da fertilidade, Eostre) só recebeu oficialmente esse nome proveniente da Deusa, após o fim da Idade Média.

Até hoje, o Domingo de Páscoa é determinado pelo antigo sistema do calendário lunar, que estabelece o dia santo no primeiro domingo após a primeira lua cheia, no ou após o Equinócio da Primavera. Formalmente isso marca a fase da "gravidez" da Deusa Tríplice, atravessando a estação fértil.
A Páscoa, como quase todas as festividades religiosas cristãs, é enriquecida com inúmeras características, costumes e tradições pagãos, como os ovos de Páscoa e o coelho. A lebre era um símbolo de renascimento e ressurreição, sendo animal sagrado para várias deusas lunares, tanto na cultura oriental como na ocidental, incluindo a deusa Ostara, cujo animal era o coelho.

Os alimentos pagãos tradicionais do Sabbat do Equinócio da Primavera são os ovos cozidos, os bolos de mel, as primeiras frutas da estação em ponche de leite. Na Suécia, os "waffles" eram o prato tradicional da época.
 
Blessed Ostara to all/ Feliz Ostara a todos/ Gesegnete Ostara an alle/ Bendecida Ostara para todos/ Benedetta Ostara a tutti/ Bienheureux ostara à tous
Nossos mais calorosos agradecimentos a Vanessa Corecco Calado pela criação da belíssima Arte Gráfica.
 


19 de abr de 2014

60.000 VISUALIZAÇÕES



"Pintar é retratar a essência." – Delia C. Steiner

"Painting is to portray the essence." - Delia C. Steiner

"Malen ist, die Essenz darzustellen." - Delia C. Steiner

"La pintura es retratar la esencia." - Delia C. Steiner

“La peinture est à dépeindre l'essence." - Delia C. Steiner

“La pittura è per ritrarre l'essenza." - Delia C. Steiner
 
A Vanessa Corecco Calado nossos agradecimentos pela colaboração na belíssima Arte Gráfica.


12 de abr de 2014

59.000 VISUALIZAÇÕES.




 
"Os artistas são perigosos para qualquer ditadura. Eles criam beleza e a beleza é o inimigo do totalitarismo." - Autor desconhecido

"Gli artisti sono pericolosi per qualsiasi dittatura. Creano bellezza e la bellezza è il nemico del totalitarismo". - Autore sconosciuto

"Les artistes sont dangereux pour toute dictature. Ils créent la beauté et la beauté est l'ennemi du totalitarisme." - Auteur inconnu

"Künstler sind gefährlich für jede Diktatur. Sie erzeugen Schönheit und die Schönheit ist der Feind des Totalitarismus." - Unbekannter Autor

"Los artistas son peligrosos para cualquier dictadura. Crean belleza y la belleza es el enemigo del totalitarismo." - Autor desconocido

"Artists are dangerous to any dictatorship. They create beauty and the beauty is the enemy of totalitarianism." - Unknown author
Agradecemos a Vanessa Corecco Calado pela gentileza de criar a bela Arte Gráfica acima.

 

5 de abr de 2014

ARTE - UMA METÁFORA FEMININA


A História da Arte e as representações do feminino - Parte II.
 
                     Hipólita, rainha das amazonas guerreiras - Mitologia grega.
 
 
Grécia:
 
Os artistas Cicládicos (2.500 – 1.100 a.C., arquipélago grego) criaram uma forma completamente nova de representar o ídolo da fertilidade, fugindo completamente dos padrões e variantes ligados à Vênus de Willensdorf. O aspecto “magro”, com as delicadas nuançes de curvas, e as indicações suaves de volume no abdômen, seios e joelhos, demonstram uma grande distância dos ídolos mais antigos da fertilidade. Não se sabe por que a cultura cicládica promovia a produção desse tipo de imagem, mas sabe-se que são as primeiras representações do nu feminino em tamanho real (e isso no segundo milênio a. C.) conhecidas na história da arte. Na verdade, seriam mesmo as únicas representações de nu feminino em escala real durante muitos séculos, e não surpreende que tenha sido nessas ilhas que começaram a surgir às imagens de Vênus para cultos religiosos, como a Afrodite de Praxíteles.
 
 Vênus - Cultura Cicládica - Era da grande mãe.
 
 
                                Figuras Femininas - Cultura Cicládica.


Afrodite de Cnido/versão conhecida como Afrodite Colonna - Praxíteles.
Museu Pio - Clementino.
 
 
Venus asleep - Giorgione - 1510 - oil on cavas.
 
A Vênus adormecida, de Giorgione, uma variante tardia da Afrodite de Cnido.
 

      Apollo and the nine Muses - (1514 - 1523) oil on wood - Baldassare Peruzzi.


A Grécia nos deixou um mundo povoado por mulheres sublimes e homens perfeitos. O ideal de beleza na Grécia era caracterizado por medidas harmônicas e proporcionais. O período helenístico (323 a.C - 146 a.C) nos traz a Vênus de Milo, um símbolo do padrão grego. A harmonia de proporções era a síntese da beleza ideal. Esse padrão de beleza da Grécia, de proporção e harmonia onde o corpo era o reflexo da beleza divina, mantém-se por algum tempo até a Idade Média.
Vênus de  Milo - autor desconhecido - Obra atribuída a Alexandros de Antióquia.
 
Vênus de Milo - detalhe face - Alexandros de Antióquia.

 
 Roma:
 
3 Graces - Rome - artist unkown.
                         79 AD Pompeii, house of Titus Dentatus Panthera.
 

A arte romana sofreu duas grandes influências: a da arte etrusca, popular e voltada para a expressão da realidade vivida, e a da grego-helenística, orientada para a expressão de um ideal de beleza.
 
Head of Athena - Unkown artist - Rome - 160 - 150 B.C
 
 
Na Arte Romana, a figura feminina nos é desvendada em afrescos pintados na Villa dos Mistérios, cidade de Pompéia. No ano de 79 a.C. o vulcão Vesúvio entrou em erupção, soterrando Pompéia, antiga cidade do Império Romano, conservando sua cultura material e fazendo surgir um dos principais centros arqueológicos e culturais romanos. A arte de Pompéia guardou um caráter misterioso e particular por estar ligada a uma série de rituais, aos quais só as mulheres tinham acesso, retratados em seus afrescos.
 
Afresco da "Vila dos Mistérios"/Pompéia/mostra figura feminina sendo consolada após ter sido iniciada nos rituais do culto a Dionísio.
 
 
Retrato de mulher escrevendo - afresco cidade de Pompéia - Itália.
 
Os Retratos de Fayum (Fayyum, Faiyum ou Faium) são o termo moderno para um tipo de retrato realista pintado sobre madeira (carvalho, cedro ou cipreste) em múmias egípcias do Egito romano. Os retratos são inovações que datam da época da ocupação Romana do Egito, e eram comuns desde o delta do Nilo até a Núbia. Estes retratos derivam da arte greco-romana devido aos muitos Imigrantes romanos e gregos no Egito Ptolemaico (305 a 30 a.C). Os retratos de fayum são as pinturas mais bem preservadas da Antiguidade.
Retrato Funerário romano-egípcio de uma mulher/ Fayum.
 
 
                         Fayum Portrait - artist unkown / 50 - 100 A.D

 
 
 
 
 
O fotógrafo John Berger escreve sobre os retratos de Fayum:
 
“Eu possuo um retrato apagado em meu bolso. Há um silêncio em seu rosto. Ela clama ao vazio. Eles apelam para o nada, os rostos de Fayum, eles não pedem nada. Eles nos olham e seu olhar nos diz: "Nós sabemos que estamos vivos. E você está vivo, porque você está olhando para nós.” - John Berger
 
 
"I’ve got a portrait out my pocket. There’s a silence in her face. She appeals for nothing. They appeal for nothing, the Fayum faces, they ask for nothing. They look at us and their look says, "We know we are alive. And you are alive because you are looking at us." - John Berger.


 

58.000 VISUALIZAÇÕES.





“A arte de pintar é apenas a arte de exprimir o invisível através do visível.”
- Eugène Fromentin

“The art of painting is just the art to express the invisible through the visible.”
- Eugène Fromentin

“El arte de la pintura es simplemente el arte de  expresar lo invisible a través de lo visible.”
 - Eugène Fromentin

“Die Kunst der Malerei ist die Kunst, das Unsichtbare durch das Sichtbare zum Ausdruck zu bringen.“
- Eugène Fromentin

“L'art de la peinture c’est juste l’art pour exprimer l'invisible par le visible.”
- Eugène Fromentin

“L'arte della pittura è solo l’arte per esprimere l'invisibile attraverso il visibile.”
- Eugène Fromentin

Agradecemos a Vanessa Corecco calado pela belíssima Arte Gráfica acima.
Blogger Wordpress Gadgets