30 de abr de 2013

13.000 VISITAS.

 
It's through the  artist's eyes that I see wonderful things in nature that I never saw before. (Kathy Connelly)
É através dos olhos de artista que me é possível ver as maravilhas da natureza que eu nunca havia observado antes. (Kathy Connelly)
E 'attraverso gli occhi di un artista che posso vedere le meraviglie della natura che non avevo mai visto prima. (Kathy Connelly)
C'est à travers les yeux d'un artiste que je peux voir les merveilles de la nature que je n'avais jamais vu avant. (Kathy Connelly)
Es ist durch die Augen eines Künstlers, dass ich die Wunder der Natur sehe,welche Ich zuvor dass noch nie gesehen hatte. (Kathy Connelly)
Es a través de los ojos de un artista que pueda ver las maravillas de la naturaleza que nunca había visto antes. (Kathy Connelly)
Muito obrigado a todos/  Muchas gracias a todos/ Merci a tous/Grazie a tutti/ Ich Danke Ihnen allen/ Thank you all.

24 de abr de 2013

GENOCÍDIO ARMÊNIO, UMA BREVE HISTÓRIA.


                                              Painting by Armenian artist, Armiss

Este é um Blog sobre arte, porém fala também daquilo que me move, daquilo que me entristeçe ou alegra, daquilo que me inspira, ou não. Falar do Genocídio Armênio, hoje 24 de Abril, é uma tentativa de fazer com que o mundo não esqueça. É fazer com que possamos lembrar de que, aqueles que não aprendem com a História, serão condenados a repetí-la.
Na esperança de que o grito "Never more again" ("Nunca mais novamente") não seja em vão.

The Women Of Sassoun - Arshak Fetvadjian

Um dos primeiros artistas a retratarem o genocídio armênio na arte foi Arshak Fetvadjian. Sua pintura, "A mulher de Sassoun" mostra uma mulher amamentando seu filho com um fuzil na mão no topo de uma montanha. Sassoun foi palco do primeiro grande movimento de resistência armênio durante os Massacres Hamidian de 1894. Sassountsis continuou a resistir à invasão turca e curda até que todos fossem completamente eliminados durante o genocídio armênio de 1915.
                                         Painting By Armenian artist,Armiss
 
Um pouco de História:
Os armênios são um povo muito antigo, que habitava desde os primórdios as terras que hoje conhecemos como Arménia,Turquia e Síria.
O nome oficial da Arménia é Hayastan, ou seja, os descendentes de Noé.
O primeiro genocídio do século XX ocorreu quando dois milhões de armênios que viviam na Turquia foram eliminados de sua pátria histórica através de deportações forçadas e massacres.




Por três mil anos, a comunidade armênia próspera existia dentro da vasta região do Oriente Médio fronteira com os mar Negro, Mediterrâneo e Mar Cáspio. A área, conhecida como Ásia Menor, está na encruzilhada de três continentes, Europa, Ásia e África. Grandes potências subiram e desceram ao longo dos séculos e a pátria armênia foi por diversas vezes governada por persas, gregos, romanos, bizantinos, árabes e mongóis.
 Apesar das repetidas invasões e ocupações o orgulho arménio e a identidade cultural nunca vacilaram. Após o advento do cristianismo, a Armênia se tornou a primeira nação a aceitá-lo como a religião de Estado (301 d.C). Seguiu-se uma era dourada de paz e prosperidade seguido que viu a invenção de um alfabeto diferente, um florescimento da literatura, da arte, do comércio e um estilo único de arquitetura. Por volta do século X, os armênios tinham estabelecido uma nova capital em Ani, carinhosamente chamado de "cidade das mil e uma igrejas".
Armenians Manuscript.
No século XI, a primeira invasão turca ocorre, e tem início centenas de anos de domínio muçulmano, com os turcos. Por volta do século XVI, a Armênia tinha sido absorvida pelo vasto e poderoso Império Otomano. No seu auge, este império turco incluiu grande parte do Sudeste da Europa, Norte da África, e quase todo o Oriente Médio.
                         Painting By Armenian artist, Armiss
Porém, havia grandes diferenças culturais entre armênios e turcos. Os armênios sempre fizeram parte das comunidades que prezavam a cultura, dentro do antigo império turco. Armênios eram os empresários, advogados, médicos e artesãos. Eram mais abertos a novas idéias científicas, políticas e sociais do Ocidente (Europa e América) e seus filhos eram enviados para estudar em Paris, Genebra ou até mesmo aos Estados Unidos para completar sua educação.
 
Daugther of Armenia, artist unknown.
 
Portrait of an Armenian Lady with Child, artist unkown.
Por outro lado, a maioria dos turcos eram analfabetos, camponeses e pequenos lojistas. Os líderes do Império Otomano tinham tradicionalmente dado pouco valor à educação e não se sabe de um único instituto de ensino superior dentro de seu antigo império. Os vários governantes autocráticos e despóticos ao longo da história do império, tinham valorizado lealdade e obediência cega, acima de tudo. Seus súditos ignorantes nunca tinham ouvido falar de democracia ou de liberalismo e, portanto, não tinham inclinação para reformas políticas. Este foi o estopim, porque os armênios, buscavam reformas políticas e sociais e questionavam o totalitarismo do Império Otomano.
                           Painting By Armenian artist, Armiss
Então jovens turcos foram instigados pelos líderes a glorificarem as “virtudes do campesinato turco” em detrimento dos armênios. Eles exploraram as diferenças religiosas, culturais, econômicas e políticas entre os turcos e os armênios para que a sociedade turca,”o povo”, passasse a considerar os armênios como estranhos entre eles.
Homme, Femme et Enfant - Painting by  Hovhannes Semerdjian.
 
Quando a Primeira Guerra Mundial estourou em 1914, os líderes do regime “Jovens Turcos“ se alinharam com as Potências Centrais (Alemanha e Áustria-Hungria). A eclosão da guerra daria a eles a oportunidade perfeita para resolver a "questão armênia" de uma vez por todas.
Como um prelúdio para a ação procedente, o governo turco desarmou toda a população armênia.
A época, cerca de quarenta mil homens armênios estavam servindo no exército turco. No outono e inverno de 1914, todas as armas lhes  foram apreendidas e eles foram forçados ao trabalho escravo, em batalhões de construção de estradas ou utilizados como animais de carga humanos. Sob as condições de trabalho brutal, sofreram uma taxa muito elevada de morte. Aqueles que sobreviveram logo seriam chacinados sem pena. Havia chegado a hora de eliminar os armênios!
 
Massacre Bleu - Hovhannes Semerdjian.
 
A decisão de aniquilar toda a população veio diretamente do triunvirato ditatorial “Os três Paxás” que governava o Império Otomano. As ordens de extermínio foram transmitidas em telegramas codificados a todos os governadores das provincias em toda a Turquia. A matança começou na noite de 24 de Abril de 1915, onde 300 líderes políticos armênios, educadores, escritores, clérigos e dignitários em Constantinopla (atual Istambul), foram retirados de suas casas, brevemente pressos e torturados, e em seguida, enforcados ou fuzilados.
 
                                         Painting By Armenian artist, Armiss
Logo após houveram prisões em massa de homens armênios em todo o país por soldados turcos, agentes policiais e bandas de voluntários turcos. Os homens foram amarrados com cordas em pequenos grupos, em seguida, arrastados para os arredores de suas cidades e mortos a tiros ou baioneta por esquadrões da morte. Curdos e turcos locais armados com facas e paus ajudavam e se juntavam a matança cruel. Depois, foi a vez das mulheres armênias, crianças e idosos. Em um curto espaço de tempo, eles foram obrigados a arrumar suas coisas e estarem prontos para deixarem suas casas, sob o pretexto de que estavam sendo transferidos para uma zona não-militar para sua própria segurança. Porém, sem saber estavam marchando rumo a morte em direção ao deserto Sírio.
Deposition by Hovhannes Semerdjian.
 
Estas marchas da morte, envolvendo mais de um milhão de armênios, cobriam centenas de quilômetros e duraram meses, levando os famintos e exaustos armênios por vias indiretas através de montanhas e áreas selvagens, que foram escolhidos deliberadamente, a fim de prolongar o sofrimento e para manter as caravanas longe de aldeias turcas. Estima-se que 75 por cento dos armênios nestas marchas pereceram, especialmente crianças e idosos. Aqueles que sobreviveram ao calvário foram levados para o deserto sem uma gota de água. Outros foram atirados de penhascos, queimados vivos, ou afogadas em rios. A paisagem turca estava cheia de cadáveres em decomposição, uma vez que os envolvidos no assassinato em massa mostraram pouco interesse em parar para cavar sepulturas. Os cadáveres a beira das estradas e os deportados magros a beira da morte eram uma visão chocante para estrangeiros que trabalhavam na Turquia, como missionários e diplomatas, testemunhas oculares do genocídio ocorrido.
 
 
 
Painting By Armenian artist, Armiss
 
Após a primeira Guerra,  a tentativa do presidente Woodrow Wilson de fazer  da Armenia um  protetorado oficial dos EUA  foi rejeitada pelo Congresso em Maio de 1920.
Mas Wilson não desistiu da Armenia, e como resultado de seus esforços o Tratado de Sévres foi assinado em 10 de Agosto de 1920, pelas Forças Aliadas, a República da Arménia e os novos líderes moderados da Turquia. O tratado reconhece um estado armênio independente numa área que abrange grande parte da antiga pátria histórica. Infelizmente, o nacionalismo turco, mais uma vez ressurgiu. Os líderes turcos moderados que assinaram o tratado foram expulsos em favor de um novo líder nacionalista, Mustafa Kemal, que simplesmente se recusou a aceitar o tratado e até mesmo re-ocupou as terras em questão, em seguida, expulsando qualquer armênio sobrevivente, incluindo milhares de órfãos.

Au Pied du Calvaire I by Hovhannes Semerdjian.
 
Após a eliminação bem sucedida do povo da Armênia, os turcos demoliram quaisquer vestígios do patrimônio cultural armênio, incluindo obras de arte inestimáveis ​​da arquitetura antiga, velhas bibliotecas e arquivos, removeram todos os vestígios de três mil anos desta antiga civilização.
La pleureuse by Hovhannes Semerdjian.
 
 
 
 
 
 

 


 


 
 

15 de abr de 2013

12.000 VISITAS.



"In der Kunst kann die Hand nie etwas höheres ausführen als was das Herz begeistern kann.”(Ralph Waldo Emerson)

"Na arte a mão nunca pode executar algo superior ao que o coração pode inspirar." (Ralph Waldo Emerson)

"En el arte la mano no puede ejecutar nada más alto que el corazón puede inspirar". (Ralph Waldo Emerson)

"In art the hand can never execute anything higher than the heart can inspire."(Ralph Waldo Emerson)

«Dans l'art la main ne peut jamais exécuter quoi que ce soit plus élevé que le cœur peut inspirer." (Ralph Waldo Emerson)

Danke! Obrigado! Gracias! Thanks! Merci!
Blogger Wordpress Gadgets